“Queremos governar cumprindo cada uma das questões que serão aprovadas por vocês”, convocou Sérgio Leite

A tarde de sábado (28/07) em Paulista foi dedicada às discussões para a formação do Programa de Governo Participativo de Paulista. Reunidos na Faculdade Decisão (Fade) do Janga, moradores dos mais diversos bairros da cidade puderam, mais uma vez, expor suas ideias e dar sugestões para a gestão de Sérgio Leite (PT), na prefeitura de Paulista, participando dos fóruns de Desenvolvimento Econômico e Sustentável e Saúde e das mesas redondas de segurança,direitos humanos e diversidade, educação, turismo, juventude e esportes e habitação, transporte e mobilidade.

Presente ao evento, o candidato Sérgio Leite agradeceu a presença de tantas pessoas interessadas em fazer parte deste projeto de mudança para Paulista “Queremos governar essa cidade com um programa bem fundamentado, que possa criar uma nova forma de gestão democrática e participativa, que garanta que a cidade tenha as políticas públicas funcionando. Vamos adequar para nossa realidade modelos que deram certo no Recife e em outras cidades para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Apesar de ser uma grande cidade, próxima à capital, Paulista tem uma política atrasada e muito equivocada, que trata a cidade como um município do interior. Paulista pode se transformar em um grande condutor de desenvolvimento para a Região Metropolitana. Queremos descentralizar a gestão e resolver a estrutura da prefeitura  e fazer uma gestão mais próxima do cidadão. Temos uma grande oportunidade de fazer uma grande gestão, que se torne uma referência. O transporte é um caos e temos a passagem mais cara. Temos a quarta pior educação do Brasil, fatos que têm um efeito grave na vida das pessoas. Vamos construir democraticamente uma gestão para modificar isso. É importante sonhar, colocar nossas propostas e queremos governar cumprindo cada uma das questões que serão aprovadas aqui por vocês”, convocou Sérgio Leite.

Vanildo França, professor de estudos sociais e presidente do Grupo Homossexual de Paulista comemorou: “Como é diferente a prática da democracia que não é imposta de cima pra baixo , mas de baixo pra cima! São os segmentos sociais que estão sendo escutados e nós estamos fazendo democracia esta tarde aqui. pra que a gente possa governar de maneira lícita, correta, honesta”.

Entre os presentes para contribuir nas discussões estiveram o presidente da Federação das Micro e Pequenas Empresas José Tarcísio, o cientista político Élio Ferreira, o presidente da Associação dos Moveleiros de Paulista Carlos Batata, o vereador Fábio Barros, Amaro João diretor da EPTI, Ceci Alencar enfermeira, Reverendo Daniel e o presidente do PT municipal Nickson Monteiro.

José Tarcísio defendeu a criação de um distrito para as pequenas e micro empresas no município: “Paulista tem um distrito industrial grande, mas não tem um distrito para a pequenas e micro empresas. Essa medida geraria mais emprego, distribuição de renda e mais qualidade de vida. Está no memento nos voltar para essa realidade e investir nas nossas micro empresas. Todo o recurso dos pequenos é aplicado dentro do município. Precisamos reduzir os impostos e acabar com a burocracia porque é a micro empresa que distribui renda no nosso país”, defendeu.

O vereador Fábio Barros, biólogo e oceanógrafo citou a importância do desenvolvimento sustentável no município, lembrando os recursos ambientais e o descaso com que a atual administração trata a questão. Entre várias sugestões, a transformação do parque e da mata do Janga em um parque de preservação ambiental e a revitalização dos rios Paratibe e Timbó, o que representaria uma ação de saneamento básico para os bairros cortados por suas águas e a melhoria da qualidade do banho de mar no município, além da criação da Secretaria e do Fundo Municipal de Meio Ambiente.

Na área de saúde, a professora Ceci Alencar, moradora de Paulista desde 1974,mostrou dados sobre a saúde do município, apontando que, no ano de 2011 dos 2.610 nonos moradores da cidade, dois mil nasceram fora de Paulista, lembrando a necessidade da criação de uma maternidade pública e da atenção em saúde à gestante, par também diminuir o índice de mortalidade neo natal que no ano passado foi de 16 para cada mil nascidos vivos em Paulista.

Lembrando que o formulário de sugestões também pode ser enviado pela internet, pelo site www.ptpaulista.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: